5 de dezembro de 2023 Meio ambiente | Institucional

Com R$ 230 mi, BNDES apoia projetos de biometano no 3º maior aterro sanitário do mundo e no setor sucroenergético 05.12.2

Publicado no BNDES – Meio Ambiente/Institucional: CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SITE

• Banco contratou financiamento de R$ 93,8 milhões para construção de usina de biometano em aterro sanitário na cidade de Caieiras (SP) e aprovou R$ 135 milhões para indústria em Paraguaçu Paulista (SP) produzir biogás a partir de subprodutos do açúcar e álcool

• Biometano possui pegada de carbono negativa e é um biocombustível que pode ser utilizado tanto na geração de eletricidade quanto em veículos, em substituição ao diesel, o que contribui para a matriz energética sustentável do País


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) soma cerca de R$ 230 milhões em dois novos financiamentos para produção de biometano. No projeto da Essencis Biometano S.A, o Banco contratou financiamento de R$ 93,8 milhões para construção de uma usina de biometano no maior aterro sanitário da América Latina e 3º maior do mundo, localizado em Caieiras (SP). Para a empresa Cocal Energia PPT Participações Ltda., o BNDES aprovou financiamento de R$ 135 milhões destinado à implantação de uma planta de biogás em Paraguaçu Paulista (SP).

“Tais iniciativas irão impulsionar a produção de biometano no Brasil, que apresenta enorme potencial para substituição do uso do diesel em veículos pesados e máquinas agrícolas, contribuindo para a transição energética e descarbonização da matriz de combustíveis do Brasil. A indústria verde é uma prioridade do BNDES e da neoindustrialização brasileira”, afirma José Luís Gordon, diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES.

No Aterro Caieiras, que recebe os resíduos de 20 municípios da região metropolitana de São Paulo, além da própria capital, a unidade terá capacidade instalada de 68.000 m³/dia. Do montante total do financiamento, R$ 53,7 milhões são recursos do Programa Fundo Clima e R$ 40,2 milhões do BNDES Finem, tradicional linha do Banco para financiamento a empreendimento. A previsão é de que o projeto evite a emissão de 43.068 toneladas de CO2 equivalente/ano.

O biogás, que é composto principalmente por CO2 e metano, será captado no Aterro Caieiras por meio de uma malha de dutos e direcionado a uma planta de purificação, onde será feita a separação do CO2 e de outros gases para a elevação da concentração do metano acima de 95%, gerando o biometano. Esse processo contribui para a mitigação das mudanças climáticas, uma vez que promove a captura dos gases que teriam efeito poluente se liberados diretamente na atmosfera, produzindo um combustível renovável alternativo aos combustíveis fósseis.

Estruturado como Project Finance, modelo em que as garantias são o próprio ativo e o fluxo de caixa do empreendimento, o apoio do BNDES corresponde a aproximadamente 80% do investimento total da Essencis, de R$ 117 milhões. A produção da unidade será comercializada com a Ultragaz e a Neogás, com entrega em gás natural comprimido via modal rodoviário.

No projeto da Cocal, a planta de biogás utilizará palha de cana, torta de filtro e vinhaça, insumos oriundos da produção de álcool e açúcar, e terá capacidade para produzir até 60 mil m³/dia de biometano. Os recursos, financiados pelo Fundo Clima, correspondem a 60% do valor total a ser investido no projeto, de cerca de R$ 200 milhões. A redução estimada de emissões de gases de efeito estufa decorrente da implantação e execução do projeto, que possui vida útil prevista de 19 anos, é de mais de 10 milhões de toneladas de carbono.

Todo biometano produzido pela nova usina será distribuído via GNC (cilindros transportados por meio de carretas), possibilitando o atendimento a clientes industriais e comerciais em todo o território nacional. Parte da produção será utilizada pelo próprio Grupo Cocal para atender a demanda por combustível de sua frota de veículos (caminhões, colhedores e tratores) durante a safra, com respectiva diminuição no consumo de diesel.

Sobre a Cocal - A Cocal é uma empresa 100% nacional, produtora de cana-de-açúcar, açúcar, etanol, energia elétrica, biometano, CO2 food grade e levedura seca. Com atuação há mais de quatro décadas no setor sucroenergético, vem investindo em tecnologias de ponta para o aproveitamento máximo da cana-de-açúcar. Suas áreas industriais estão localizadas nos municípios de Paraguaçu Paulista e Narandiba, no oeste do estado de São Paulo. A Cocal Energia PPT Participações Ltda., empresa do grupo beneficiária do financiamento do BNDES, foi fundada em 2021 e tem como principal atividade a produção e comercialização de energia elétrica e produção de biogás a partir de subprodutos da produção de açúcar e álcool.

Sobre a Essencis Biometano S.A - É uma sociedade de propósito específico com controle compartilhado pela Solví Essencis, com 60% do capital, e pela Ecometano, subsidiária da MDC, com 40%.




© Copyright 2023-2024' ABREMA - Todos os direitos reservados.